sábado, 17 de setembro de 2011

Diário da Manhã - Dia 18/9/11

E JOÃO PERPÉTUO FINOU-SE

Lêda Selma

Um tremendo susto deu as boas-vindas a João Perpétuo, o ‘Esquecido de Deus’, numa noite de lua sonsa e displicente. Dizem as línguas de reputação duvidosa que, enquanto Deus tirava uma tora, após o jantar, a ‘Famigerada Negra’ valeu-se do santo cochilo, e entregou a passagem só de ida ao ‘Matusalém nordestino’, enteado da seca e valido de Santa Rita.

É verdade que o centenário homem havia dado um ultimato ao Pai nesse sentido. Cansado de semiviver, como dizia, sem um só contemporâneo para palavrear ou mesmo para malinar com as lembranças, e com o desfecho, já em andamento, de um pecado duplo cometido, sob lençóis acalorados, nas sombras de abrasivas noites, João Perpétuo, viúvo convicto (só nas aparências), queria “desertar desta e buscar pousada na outra”. Era-lhe imperiosa tal premência. Tanto que suplicava dia e noite: “Ó, Senhor, quando os rebentos de meu pecado vierem à luz, serei um homem morto, então, piedade, apresse meu trespasse, sem necessidade de minha interferência ou da ajuda de terceiros! Meus cento e quatro anos a caminho, virando a dobra da última esquina, quero comemorá-los aí, por essas bandas, nalgum sótão desocupado, pois aos jardins do Paraíso, sei, ainda não terei acesso”.

Saudosina, o motivo natural da viuvez de Perpétuo, furibunda com a safadeza do marido, após seu desencarne, um homem com quem dividiu cama e mesa por mais de sessenta anos, conluiava com os santos, maldosamente, uma pequena prorrogação para o pretendido passamento, o suficiente para deixar o infiel em maus lençóis: “Esse velho dissimulado, com cara de São Francisco e jeito de Belzebu, tarado matusalênico, precisa levar uma peia, lá na terra, até que seja descarnado o último acolchoamento de seus ossos. Aí, sim, vou aguardar sua chegada em grande estilo...”. E, cheia de despeito e mágoa: “Até eu acreditei que o infeliz tivesse se amasiado, conforme proclamava, com a solidão e a saudade, aquelas velhas invisíveis e conhecidas de todos. Mas nunca pensei que as tais amásias, as gêmeas Solidão e Saudade, eram de carne, osso e tantos dotes rechonchudos e salientes. As fogosas facilitaram, e o velho safado embuchou as malditas.”

Assim, dizem, entre os conchavos da mulher e a sesta Divina, a Indesejada apareceu das sombras e foiceou Perpétuo, o “Esquecido de Deus”, enquanto ele dormia, rebenqueado da sorte, durante um medonho pesadelo: sentado à porta de casa, matutava sorumbático, entremeando lembranças, repassando sua vida no telão preto e branco da memória. Momentos felizes, tristes, as longas viagens a cavalo sobre a aridez do sertão; os carros-de-boi com seu canto fanhoso a resvalar poeira sobre os cactos espalhados na sequidão estriada; mandacarus de braços erguidos aos céus, como em prece, oferecendo enormes e alvas flores às noites, assustando os forasteiros como se fantasmas brancos ou almas nômades, fossem; as artimanhas de Santo Antônio, aliciado pelas súplicas da então donzela Saudosina, resultadas no casamento (sem filhos); as safadices com Solidão e Saudade, moças de querências encapetadas... Ai, ai, ai! Má ideia invocá-las...

Como quem invoca o que quer, vê o que não quer, mesmo em pesadelo, as três mulheres não se fizeram de suplicadas: apareceram e postaram-se à frente do ancião. E o pesadelo tornou-se ainda mais assombroso: Saudosina, satanizada, grunhia impropérios, ao tempo em que cutucava seu viúvo com o rúbido tridente; Solidão e Saudade, inexplicavelmente não grávidas, farseavam um riso farto e angelical, enquanto, sorrateiras, tocavam o amante com delicadeza. De repente, Perpétuo, atônito, vê sua barriga enorme, grávida de nove meses. Desesperado, sente as primeiras contrações. Mais outras. E outras. Cada qual mais forte e insuportável. Suas entranhas parecem arrombadas violentamente. Com a voz esprimida nos fundos da garganta, tenta um grito de socorro. Em vão.

De súbito, Saudosina, com o tridente apontado, vocifera: “O parto será a fórceps, ou melhor, a tridente. E as gêmeas, Solidão e Saudade, me ajudarão na empreitada. Prepare-se, velho tarado, violador de viuvez, para, agorinha mesmo, partejar seus quatro filhos, assim, na marra. E quanto mais dor, melhor. Ri, ri, ri!!!

Perpétuo não morreu de parto, claro! Morreu de susto. Durante um pesadelo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário