quarta-feira, 9 de março de 2011

QUERO FALAR...


Lêda Selma

... do amor alagado nas enchentes
ou tosquiado nas secas,
amor de estiagem,
de retalhos e cacos,
ou de setembros molhados...

Amor de retratos,
amor de passagem,
amor das estepes
(humanas ou agrestes),
amor fuligem, amor de Eros,
amor deixado em espelhos rotos,
amor dormido, amor sem viço,
amor frugal, eternal, morrediço...

Não me importa se amor de seda,
amor de mitos, com vestes, sem ritos...
Só quero falar de amor,
amor sem teias, amor sem ermos,
amor sem estrepes...

Um comentário:

  1. Quedo-me embevecido ao beber dessa poesia que se mostra em outdoor de provocações.

    ResponderExcluir