terça-feira, 29 de junho de 2010

Mãe não morre

MÃE NÃO MORRE...

Lêda Selma


Mãe não morre, diviniza-se.
Transmuta-se em estrela,
e se faz sol na escuridão.
Mãe não morre, poetifica-se.
E, no vaivém das lembranças,
se torna saudade e silencia o vazio.
Mãe não morre, apenas,
repousa no sonho
e acorda beija-flor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário